Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Minha Vida na Canaricultura

Data do artigo: 2009-07-27 Autor: Amadeo Sigismondi Filho

Amadeo julgando os vermelhos da AVO

Desde criança manifestei meu amor pelos pássaros. Aos sete anos, ganhei de minha mãe, o meu primeiro canário, e no afã de protegê-lo e acarinhá-lo mantinha-o em meu quarto sobre o guardaroupa. Ignorava que sol e ar puro são indispensáveis para a saúde dos pássaros. Foi somente muitos anos depois que comecei criá-los pra valer, já com conhecimento de acasalamentos corretos aplicando a devida genética, isto após estudá-la profundamente, pois só assim se aprimora as raças para competir e ser premiado.

Em 1972, durante o Campeonato Mundial, realizado em São Paulo, nos salões da Bienal, foi onde adquiri meus primeiros bons exemplares nacionais e estrangeiros, e com eles enriqueci meu plantel, pois antes só criava “pindorgas”. A partir daí participei de vários Campeonatos Brasileiros e Mundiais, estes patrocinados pela Argentina, Chile, Peru e lógico pelo Brasil, sempre tendo a felicidade de ver vários de meus pássaros serem premiados.

Fui tri-campeão brasileiro de canários de cor em 1976- 77-78 e tri-campeão brasileiro de canários de porte em 1978- 79-80, anilhados em nome de minha esposa Therezinha.

Em 1976, prestei exame para Juiz FOB e fui aprovado nos segmentos de cor e porte, em Curitiba/PR, durante o campeonato brasileiro, lá realizado. Em 1977, no mundial em São Paulo, no Ibirapuera, fui aprovado para Juiz COM-OMJ.

Como dirigente, em 1978, fui presidente do Clube ABC (Associação Bandeirante de Canaricultura). Presidi também a Federação Paulista de Ornitologia de 1977 a 1979. Posteriormente, fui indicado pelo presidente da ABOA, para ser diretor de árbitros, responsável pela OBJ de 1979 a 1981.

Já pela FOB, fui assessor dos presidentes de 1977 até os dias atuais. Na OBJO, onde ocupo o cargo de secretário, fui também membro presidente do Tribunal de Ética.

No período compreendido entre 1983 a 1995, dei uma pausa na criação de canários, dedicando-me à criação de exóticos e agapornis. Tive a felicidade de ver um meu exemplar de agapornis premiado como Best in Show, no campeonato mundial, realizado em São Paulo, no Centro de Exposições Imigrantes, em 1992.

Em 1995, voltei a criar canários, por insistência de amigos, após o campeonato mundial, realizado em Buenos Aires.

Aqui registrei as datas marcantes da minha vida ornitológica, como criador, juiz e dirigente. Sou grato ao meu hobby, pois através dele conquistei amigos maravilhosos, gozando desta amizade até os dias de hoje. A maior riqueza de um homem, além da família, são seus amigos e estes, os tenho em número considerável.

Muitos já se foram levando a saudade, o carinho e o respeito para sempre como companheiros. Outros vieram e tenho certeza que novos virão.

Incentivei e orientei muitos jovens a criar e hoje tenho o prazer de vê-los superarem o mestre. Quero mais. Colhi amigos, pupilos, uma alegria imensa.

Muito obrigado a vocês todos, que fizeram que eu me sentisse um homem feliz, por todas estas sensações inigualáveis.

Campeão Mundial - Cascavel 2002 - Canário Cobre Topázio Mosaico Macho - Criador Amadeo Sigismondi

Amadeo e Dª Therezinha no julgamento do melhor canário de cor

Sala de troféus de Amadeo

 

Fonte: Amadeo Sigismondi Filho ( voltar ao topo )

Voltar aos artigos

OBRIGADO PELA VISITA! TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © CANARIL MOURA