Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Tico-tico Mutação Canela

Data do artigo: 2004-10-20 Autor: Frederico Moura

Ocorreu, há pouco tempo na casa de um de nossos associados, o senhor José Dalapria um fato inusitado. Não sei se é raro, mas ao menos é interessante. Vou relatá-lo a seguir, da forma como o mesmo me contou.

José Dalapria é daquelas pessoas de hábitos simples e que tem como hobbi a criação de canários. A vizinhança toda o conhece e ele, com sua simplicidade, cativa a todos, sempre atencioso e disposto a ajudar.

Há alguns dias, dona Maria, uma senhora sua vizinha, veio lhe dizer que um canário estava solto, e que andava em companhia de dois tico-ticos pelas árvores da redondeza. Às vezes, andava pelo chão de seu quintal procurando por comida. Nosso amigo imediatamente foi conferir-se algum de seus canários havia fugido e, não constatando nada, lhe disse que deveria ser um canário fugido de outra gaiola, que não as suas. Ficou curioso, porém, com a conversa da vizinha, pois nunca vira um canário em companhia de outros pássaros silvestres. O que sempre acompanha os tico-ticos, são os chupins, que, chocados pelos tico-ticos, os seguem piando e pedindo comida, mas a diferença é grande entre um chupin e um canário. Esqueceu-se do assunto, pois deveria ser engano da dona Maria.

Passados alguns dias, numa tarde de domingo quando cuidava dos canários, ouviu a vizinha chamando por sua esposa, e dizendo para avisar ao Dalapria que o canário estava em seu quintal, com os tico-ticos. Nosso amigo imediatamente foi ver o que acontecia e, tal não foi sua surpresa ao ver três tico-ticos saltitando no quintal ao lado.

E, para maior surpresa, um deles era muito mais claro que os outros, provavelmente uma mutação, constatou nosso amigo.

Era de fato uma mutação, e Canela. E de longe parecia realmente com um canário, para quem não conhece.

Iniciou então um processo de atração dos pássaros, para observa-los mais de perto. Fez uma ceva no fundo do quintal, com mistura de sementes e restos de bolo e pão atraindo aos poucos os tico-ticos para perto de casa, até que conseguiu sua confiança e hoje eles estão à vontade no quintal de sua casa, entrando até dentro de seu canaril para comer as sementes que caem no chão. Deve se tratar de um casal com o filhote, que não se separou dos pais. Sua expectativa é de que o casal acasale novamente, ou que o tico-tico mutação consiga procriar nos arbustos das redondezas, dando início a uma nova cor nesta raça, apesar de saber da dificuldade disto ocorrer naturalmente, pois estes pássaros normalmente, por serem diferentes, são rejeitados pela sua raça.

Fonte: Frederico Moura ( voltar ao topo )

Voltar aos artigos

OBRIGADO PELA VISITA! TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © CANARIL MOURA